Quarta-feira, 13 de Junho de 2007

...

 

"Podias ter-me dito que ias sair da minha vida. A paixão é mesmo isto, nunca sabemos quando acaba ou se transforma em amor, e eu sabia que a tua paixão não iria resistir à erosão do tempo, ao frio dos dias, ao vazio da cama, ao silêncio da distância. Há um tempo para acreditar, um tempo para viver e um tempo para desistir, e nós tivemos muita sorte porque vivemos todos esses tempos no modo certo. Podias ter-me dito que querias conjugar o verbo desistir. Demorei muito tempo a aceitar que, às vezes, desistir é o mesmo que vencer, sem travar batalhas. Antigamente pensava que não, que quem desiste perde sempre, que a subtracção é a arma mais cobarde dos amantes, e o silêncio a forma mais injusta de deixar fenecer os sonhos. Mas a vida ensinou-me o contrário. Hoje sei que desistir é apenas um caminho possível, às vezes o único que os homens conhecem. Contigo aprendi que o amor é uma força misteriosa e divina. Sei que também aprendeste muito comigo, mais do que imaginas e do que agora consegues alcançar. Só o tempo te vai dar tudo o que de mim guardaste, esse tempo que é uma caixa que se abre ao contrário: de um lado estás tu, e do outro estou eu, a ver-te sem te poder tocar, a abraçar-te todas as noites antes de adormeceres e a cada manhã ao acordares. Não sei quando te voltarei a ver ou a ter notícias tuas, mas sabes uma coisa? Já não me importo, porque guardei-te no meu coração antes de partires. Numa noite perfeita entre tantas outras, liguei o meu coração ao teu com um fio invisível e troquei uma parte da tua alma com a minha, enquanto dormias."

Vou Contar-te Um Segredo, Margarida Rebelo Pinto


coisa da de mim... às 16:39
link do post | deixe algo seu | favorito
|
1 comentário:
De Eu a 14 de Junho de 2007 às 09:09
Apesar de o texto não ser da tua autoria, bem poderias ser tu a escrevê-lo...pois de certa forma adapta-se na perfeição à forma como nós vivemos este último ano e meio.
Muitas coisas se passaram, umas excepcionalmente boas e outras terrivelmente más.
Mas lá fomos conseguindo ultrapassar tudo, apesar da distância, do frio da ausência, da incompreensão...
Como já te disse num comentário anterior, foste e és um marco importante na minha vida, mas a vida continua sempre, e tal como a autora diz no texto, não há lugar entre nós a vencidos ou a perdedores.
Ambos ganhamos, cada qual à sua maneira, saímos vencedores desta experiência única.
Invade-me uma nostalgia imensa, por ter que ser assim.
Não te queria distante de mim e sei que um dia nos voltaremos a encontrar, pode demorar e não dependerá só da minha vontade, mas um dia acontecerá...tenho a certeza.
Li o mail, e arrepiei-me com a frieza com que o escreveste...não eras tu, não foi a Princesa que o escreveu.
Apesar de tudo e bem me podes culpar de tudo, acho que não mereço essa distância, essa indiferença.
Sabes onde me encontrares, e terei sempre o maior prazer em ouvir o que me tens para contar.
Terei sempre tempo e espaço para ti...
Um beijo.


deixe aqui algo

.pesquisar

 

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.recentes

. ...

. falta-me forças....

. FORÇA MANO....

. Mais uma luta.....

. De si....para mim.....

. ...

. ...

. ...

. e será sempre assim.....

. ...

.antigos

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.subscrever feeds